Rui Rio diz que o PSD vai avançar com a diligência parlamentar de pedir a convocação da Comissão Permanente da Assembleia da República.

À margem de uma visita à multinacional Altran, esta sexta-feira, o Presidente do PSD explicou que tem apenas abordado “a componente política” e não a matéria judicial do caso Tancos. “Se há característica minha é não só não ter mudado de princípios como ser quase teimoso e ter uma fidelidade total aos meus princípios. É tão absurdo aquilo que o Dr. António Costa diz relativamente ao que eu disse que eu acredito que não tenha ouvido e o seu ‘staff’ o tenha induzido no meio dom nervosismo da campanha e empurrado para um comentário que não existiu”, afirmou.

Rui Rio frisa que a censura que faz ao caso centra-se meramente no plano político, sendo irrelevante se “o Dr. Azeredo Lopes tem ou não tem culpa”.

Num comentário a uma afirmação do secretário-geral do PCP, Rui Rio considera que a “posição do PS é obviamente incómoda, porque são os primeiros responsáveis, mas a posição do BE e do PCP não é nada cómoda, porque aprovaram um relatório na comissão de inquérito que procurava lavar mais branco toda esta situação que agora veio à superfície por força da acusação”, acrescentando que Jerónimo de Sousa “tem a dificuldade em lidar com isto, porque não tem a consciência tranquila relativamente aquilo que os seus deputados fizeram em sede de comissão de inquérito”.