Perante o caso de Tancos e a investigação que se impôs, “agora diz-se que tudo isto é porque alguém no Ministério Público não gosta do Partido Socialista?”, perguntou Rui Rio, este sábado, em Bragança, para concluir que “o PS está atrapalhado com o caso e não sabe o que há de dizer”.

O Presidente do PSD rejeitou também qualquer coincidência da acusação com o período de campanha eleitoral porque, como explicou, “a acusação tinha de sair até ao fim desta semana”, não se vendo “nenhuma condicionante de ordem política, tinha de ser, é a lei que o determina”. “Senão estavam soltos aqueles que estão presos”, acrescentou.