Como sempre afirmou, Rui Rio diz que está disponível para, a partir da proposta inicial que o PSD apresentou, procurar um entendimento em torno da nova Lei de Bases da Saúde, tornando-a mais adequada à realidade atual. O Presidente do PSD considera que, não obstante o fracasso das negociações entre os partidos da esquerda, é preciso atualizar um diploma que já tem 30 anos. “Nós dissemos sempre a mesma coisa, está aqui a nossa proposta, ela não é fechada. Se o PS não concorda, diga com o que não concorda. Nós estamos aptos a ajustar”, afirmou Rui Rio, esta quarta-feira.

O líder do PSD sublinha que “é do interesse público” que possa haver uma nova Lei de Bases. “Em nome do interesse nacional, estamos naturalmente abertos ao diálogo. O interesse público é arranjar pontos de encontro e negociação. (…) Para nós, o ponto de partida para a negociação são as nossas propostas. Queremos que haja uma boa Lei de Bases da Saúde e que o interesse dos portugueses esteja acima de tudo. Não vamos entrar aqui em birras partidárias e ser contra o PS só porque somos contra, isso não leva a nada nem ninguém ganha nada com isso”, defendeu.

Sobre as Parcerias Público-Privadas, Rui Rio explica que o objetivo é servir melhor e com menores custos para os utentes, pelo que rejeitar as PPP por “tabus ideológicos” seria uma decisão “irracional”. “Agora, temos de poder fazer PPP, desde que isso seja melhor para os cidadãos e mais barato”, apontou.