No último dia de campanha eleitoral, o Presidente do PSD começou por visitar esta sexta-feira o mercado de Alvalade, em Lisboa. À margem desta ação de campanha, Rui Rio criticou a “intervenção desastrosa de Mário Centeno ao longo de toda a campanha eleitoral”. “Acho que ontem baixou demasiadamente o nível. Pode saber fazer umas contas, mas para a política demonstra falta de capacidade. Não há necessidade de partir para o insulto”, apontou.

Rui Rio, que justifica a escolha do Largo Carmo para a sessão de encerramento da campanha por constituir o local onde triunfou o 25 de Abril e a democracia, acredita na decisão soberana dos eleitores. “Para alterar o que temos neste momento é preciso votar diferente. (…) O PSD é o partido que faz mais sentido. (…) O povo vota sempre bem”, declarou.

Rui Rio faz um balanço muito positivo da campanha que o PSD levou ao País durante duas semanas: foi uma “campanha diferente”, inédita, com poucos jantares-comícios, muito contacto de rua, “falando com as pessoas”, com sessões de perguntas e respostas (“talks”), pedagógica e de esclarecimento, sem “berros” para os meios de comunicação social.

O Presidente do PSD deixou uma última nota sobre a sua forma de estar na vida política: “Um dos meus grandes objetivos, sempre disse e volto a dizer, é ajudar o País. E o primeiro passo para ajudar o País é viabilizar uma série de reformas estruturais e que só está capaz de as fazer com uma vontade maioritária no Parlamento”.