Foi em Vale de Cambra que o Presidente do PSD afirmou que, a partir de janeiro do próximo ano, é necessário fazer uma reforma a sério da Segurança Social “que garanta a sua sustentabilidade futura”.

Nós temos obrigação de cuidar não só das nossas reformas como das gerações futuras. É um imperativo de todos os partidos porem o mais possível as divergências de lado e tentarem encontrar um modelo que garanta essa sustentabilidade futura”, disse.

Rui Rio afirmou que este “é um problema sério que o País tem quanto ao seu futuro e eu não posso estar descansado porque a mim não me toca, pelo menos no imediato, mas vai tocar no futuro a outros portugueses”.

Questionado sobre o projeto de lei do PS para regular as nomeações de familiares para gabinetes ministeriais, o Presidente do PSD disse que o mesmo “não resolve nada”, insistindo que este é “um problema ético”.

O PS anda aqui atrapalhado a tentar limpar-se daquilo que fez e cada vez mete mais os pés pelas mãos e não sai do sítio. Agora, dizem que têm uma lei que resolve tudo e não resolve nada”, disse.

Para o presidente da PSD, esta questão tem de ser resolvida com “o bom senso e a seriedade” de cada um.