O líder do PSD defende o reforço do investimento público nas áreas de soberania. No final de uma visita de cerca de duas horas às instalações da 4.ª Divisão da PSP, na zona de Alcântara, em Lisboa, Rui Rio afirmou ter escolhido uma “esquadra sem condições”, que replica muitas outras por todo o território. “Quem lá vai dentro vê que as condições em que os polícias aqui trabalham são muito fracas, reconheço a razão da PSP quando critica a forma como trabalha”, lamentou.

O Presidente do PSD, que estava acompanhado nesta deslocação pelos deputados Carlos Peixoto, Filipa Roseta e Pedro Rodrigues, salienta que, desde que Portugal aderiu à União Europeia, “privilegiou muito o investimento público nas áreas que tinham uma participação comunitária”, o que não acontecia nem acontece nas funções de soberania. “Portugal tem de fazer um esforço no investimento público também nessas áreas que não têm comparticipação comunitária, mas que estão muito degradadas. Temos de fazer uma reflexão e canalizar o investimento público para áreas de soberania, designadamente a segurança e justiça”, declarou.

Rui Rio especifica que “a oposição tem obrigação de fazer alertas, mas depois o Governo é que tem responsabilidade de saber como orienta o investimento público”.

Rui Rio chama a atenção para o problema de habitação de muitos agentes policiais, que são de fora do local onde trabalham, e têm de arranjar alojamento com os “baixos salários” que ganham. “A PSP tem algumas instalações a preços razoáveis, mas de fraquíssima qualidade e pouca oferta”, apontou, apelando a que o Ministério da Administração Interna encontre uma solução para estes casos.