O Presidente do PSD lamenta que o Primeiro-Ministro queira pôr em causa o princípio da “continuidade territorial da nação” ao discriminar os açorianos e os madeirenses que não têm recursos económicos daqueles que têm meios para se deslocarem ao continente. Recorde-se que, em entrevista ao “Diário de Notícias da Madeira”, António Costa qualifica o subsídio social de mobilidade de “absurdo e ruinoso”.

Rui Rio diz que é preciso encontrar um ponto de equilíbrio nesta questão. “Entendo que há um dever nacional de respeitar a continuidade territorial da nação. Desse ponto de vista, é justo, é correto que o Governo nacional comparticipe na redução do custo das passagens para os açorianos e para os madeirenses. E, aí, lamento que o Primeiro-Ministro venha colocar em causa este princípio. Este nunca esteve em causa. Aquilo que está em causa é haver pessoas que não têm dinheiro para 500, 600, 700 euros, para avançarem com esse dinheiro, porque só recebem o reembolso mais tarde. Nem sequer estamos a falar do problema de custo, o custo está assumido. Estamos a falar de um problema de tesouraria. (…) Aquilo que é da responsabilidade dos governos nacionais e dos governos regionais encontrarem um equilíbrio não para pôr em causa um princípio que não se pode pôr em causa, mas para encontrarem um equilíbrio para que as pessoas que não têm dinheiro tenham o mesmo direito que as pessoas que têm dinheiro. (…) Esta é uma matéria do Estado”, disse.

Rui Rio, que efetuou uma visita de dois dias aos Açores no fim de semana, conclui que a governação regional “não tem qualidade”. “Há empresários que precisam de trabalhadores, e uma percentagem elevadíssima de pessoas com o rendimento mínimo e que depois não querem trabalhar. Acho que a culpa nem é dessas pessoas, é da falta de fiscalização (…) e essa fiscalização é responsabilidade do governo regional”, explicou.

Acompanhado Alexandre Gaudêncio, presidente do PSD/Açores, do vice-presidente do PSD, José Manuel Bolieiro, e dos secretários-gerais do PSD e do PSD/Açores, José Silvano e Sabrina Furtado, respetivamente, Rui Rio esteve na tarde de sábado no porto de Rabo de Peixe, na Ribeira Grande, onde falou com pescadores e contactou com a realidade da atividade piscatória. Ao final da tarde, o Presidente do PSD esteve com o Reitor da Universidade dos Açores, João Luís Gaspar, e à noite, participou num encontro com militantes na sede do PSD/Açores em Ponta Delgada. No domingo, Rui Rio reuniu com o presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, e almoçou com a Associação Agrícola na Ribeira Grande.