Rui Rio critica o Governo por ainda no auge dos primeiros grandes incêndios deste verão ter começado a “alijar responsabilidades” e a atribuir culpa aos autarcas. “O Primeiro-Ministro não se coibiu de criticar os autarcas com as matas e a floresta ainda arder. (…) Não vi com bons olhos que o Governo começasse a sacudir a água do capote, quando ainda os incêndios estavam a decorrer”, afirmou.

Em entrevista esta quinta-feira ao “Observador”, o Presidente do PSD retoma a mensagem que divulgou na quarta-feira na rede social Twitter. “Alijar responsabilidades no combate aos incêndios, tentando culpar os presidentes de câmara, particularmente o de Mação, merece a nossa reprovação unânime. E não inspira confiança no que concerne ao mais importante: a melhoria da resposta aos incêndios”, escreveu.

O líder do PSD diz que a principal questão é saber se “estamos hoje como efetivamente se justifica que se deva estar face à experiência de 2018 e, particularmente, de 2017”. “É isso que agora vou ver. No ano passado, em Monchique, a resposta foi que não, que houve muitas falhas no incêndio de 2018”, referiu.

Rui Rio revelou que irá deslocar-se à zona afetada pelos incêndios de Mação e de Vila de Rei para apurar “o nível de responsabilidade” do Estado na gestão do combate às chamas. “O que aconteceu é o que vou procurar saber numa visita que vou fazer nos próximos dias. Vou reunir com os presidentes de Câmara”, afirmou, admitindo que “os meios demoraram a chegar nas primeiras horas”.