No final de uma reunião do grupo parlamentar do PSD, esta quinta-feira, e questionado sobre as previsões económicas de outono da Comissão Europeia, Rui Rio sublinhou que o mais importante são “as perspetivas de futuro” quanto à evolução do crescimento. “O que a Comissão Europeia vem dizer são trocos, é um crescimento de 0,1%”, afirmou, acrescentando que é melhor que a revisão seja feita em alta do que em baixa.

Para o líder do PSD, o mais relevante são “as perspetivas futuras e aí há uma prudência muito grande por parte da Comissão Europeia”.

Rui Rio diz que é preciso aguardar pelas previsões macroeconómicas do Governo e que irão constar da proposta de Orçamento. “Vamos ter dentro em breve o Orçamento do Estado, em que vamos ver o quadro macroeconómico que o Governo apresenta e ver se está em sintonia ou dessintonia com o que foi apresentado na campanha eleitoral, talvez esteja mais prudente”, referiu.

Nas previsões económicas de outono divulgadas em Bruxelas, o executivo comunitário estima que o Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal cresça 2% este ano. A Comissão adianta, todavia, que “o ritmo de moderação previsto no verão ainda parece provável, apesar de partir agora de uma base mais alta”.