Por que motivos é importante votar no próximo dia 26 de maio, perguntou Lídia Pereira a Miguel Poiares Maduro, na sua iniciativa Euro Talks. “Se não votamos, estamos a delegar a nossa decisão nos outros”, explicou o convidado.

Lídia Pereira, número 2 da lista do PSD às europeias, convida Miguel Poiares Maduro para uma reflexão sobre as novas formas de comunicar em política e a importância de combater a abstenção: “O voto é, em primeiro lugar, um direito que temos”, explicou Miguel Poiares Maduro, que integra como suplente a lista do PSD. Votar é também “um dever cívico”. “Sem a participação política de todos, não conseguimos exercer o autogoverno, que está na base da democracia”, acrescentou.

Miguel Poiares Maduro aponta que cabe a quem está na política “simplificar a realidade sem a falsificar” e esse é um desafio que se coloca perante a comunicação nas redes sociais. Mas essas inovações não representam o fim das formas tradicionais de comunicação “ nunca vão substituir de forma eficaz os editores da democracia, os intermediários do processo democrático, como os partidos políticos”, considera. Mas os partidos precisam de reforçar a sua credibilidade nesse “processo de intermediação”, que “está hoje cada vez mais em risco” e que “é um dos maiores desafios para a democracia”. “Responder a isso exige reforçar os mecanismos que criam confiança dos cidadãos, nesses organismos” e, no que aos partidos diz respeito, “exige muito maior abertura e participação”.

Sem aumentar a participação política nos partidos, eles “deixam de ser representativos, passam a ser vistos como capturados por certos interesses” e existem, para Miguel Poiares Maduro, diversas formas de alcançar esse objetivo, uma das quais através de organismos como o Conselho Estratégico Nacional, que permitem a produção de massa crítica, ideias e propostas.