O cabeça de lista do PSD ao Parlamento Europeu apela aos eleitores para “dar uma lição” ao Governo e acusa Pedro Marques de evitar o contacto direto com as pessoas. Paulo Rangel, que na manhã de domingo reuniu com pescadores de Vila do Conde, pediu ao final do dia, em Penafiel, um “cartão amarelo” ao Executivo nas eleições europeias.

Paulo Rangel foi a Penafiel discursar perante 2000 militantes e simpatizantes. No início da intervenção, Paulo Rangel começou por declarar que o PSD não se deixa “intimidar, ameaçar ou chantagear” pela forma “como o PS tratou os assuntos políticos na última semana”. “E não fazemos, porque ao contrário do PS e dos seus candidatos às europeias, nós não fugimos à rua e não fugimos ao contacto com as populações”, declarou, observando que só na sexta-feira, Pedro Marques irá ter “um encontro com a população” e que até agora refugiou-se “em espaços protegidos e fechados”.

O eurodeputado diz que o dia 26 de maio será “o ponto de viragem” para o PSD, pelo que é preciso “dar uma lição a António Costa, depois de tudo o que fez na governação”, com “o recorde de carga fiscal”, a “mais alta desde Afonso Henriques” e os cortes no investimento público. “De nada nos vale ter mais 10 euros ou 20 por mês se a nossa consulta é adiada seis meses, se a nossa cirurgia é adiada sem data, se o SNS é todos os dias maltratado e posto de parte. E a ministra da saúde se tivesse consciência do seu papel já há muito se tinha demitido”, lamentou.

Paulo Rangel considera que Pedro Marques encabeça uma “candidatura falsa” e uma “campanha encenada”. “E é por isso mesmo que o PS não leva a sério esta candidatura, em que num comício não houve uma única referência ao cabeça de lista durante quatro ou cinco discursos, toda a gente ignorou a sua presença, porque o PS tem um candidato que é virtual que não foi às eleições para as disputar mas para fazer as vezes de António Costa que ele sim é o adversário nestas eleições”, declarou.

Antes de Paulo Rangel, o presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Antonino Vieira de Sousa, apresentou razões locais para o voto na lista do PSD nas europeias. “Foi Pedro Marques que, quando tínhamos IC35 preparado para ser adjudicado, suspendeu-o e meteu-o na gaveta, prejudicando a nossa região”, disse.

No sábado, Paulo Rangel participou numa arruada em Caldas da Rainha, contactou com a população e jantou com militantes em Pombal.