Paulo Rangel acusa o PS de prometer no seu manifesto eleitoral medidas que já existem e de não ter usado os instrumentos financeiros disponíveis. “Este mesmo candidato, este cabeça de lista apresenta promessas de coisas que já existem e já estão cumpridas. As duas grandes novidades do manifesto do PS já estão aprovadas pelo Parlamento Europeu. Isto é grave, significa que não podemos dar credibilidade nem podemos ter confiança na voz que o PS escolheu para cabeça de lista às eleições europeias”, acusou.

O cabeça de lista do PSD às eleições europeias concretiza a crítica. “[O manifesto do PS] fala de um plano de investimento quando usou zero euros de um plano de investimento [plano Juncker] que tinha à sua disposição nestes três anos e meio que já leva de Governo. Fala de um programa Garantia Criança como uma grande inovação de apoio à pobreza infantil e até ao incentivo à natalidade quando já estão disponibilizados e previstos para o próximo Quadro [de apoio] cinco mil e 900 milhões de euros, imagine-se, não com o nome Garantia Criança, mas Garantia para a Infância”, afirmou.

Paulo Rangel, que participava no jantar-conferência da Universidade Europa, este sábado, lamenta que Pedro Marques tenha um discurso impreparado e continue “a fugir aos debates”. “Nós não andamos a falar sobre temas que não conhecemos. Agora é a minha vez de dizer, se Pedro Marques quer mesmo debater, tem de estudar, tem de começar a interessar-se pelos assuntos europeus, tem de debater os assuntos europeus com cuidado. Eu sei que ele não está habituado, mas isto não é o Governo nem é um debate em que se possa fazer apenas propaganda. É preciso conhecer os dossiers, é preciso estudar. (…) Não vale a pena o cabeça de lista do PS vir com desculpas, com queixas e com queixinhas que no tom que têm chegam a ser infantis. Ou quer debater ou não quer debater”, apelou.