Paulo Rangel viajou de comboio, esta segunda-feira, entre a estação do Cais do Sodré, em Lisboa, e Carcavelos, concelho de Cascais, para denunciar o estado de “abandono” da ferrovia nacional. O cabeça de lista do PSD acusa o Governo de desinvestir no transporte ferroviário, considera esse abandono uma “grande herança de Pedro Marques e do PS”, e nem os “passes sociais” conseguem esconder a degradação contínua dos transportes públicos. “Para cumprir nas metas europeias houve que fazer escolhas e uma das escolhas foi desinvestir e abandonar os transportes, não há passes sociais que iludam a realidade”, acusou Paulo Rangel.

Numa das linhas mais movimentadas do País, o eurodeputado explicou que o objetivo da viagem foi “chamar a atenção para o fracasso da ferrovia”, sublinhando que “havia fundos europeus para investir nestas matérias, mas o investimento público foi o mais baixo de sempre”. “Na área da ferrovia a execução é fraquíssima. E revela no fundo um governo incapaz de atuar na área dos transportes”, declarou.

A comitiva social-democrata apanhou o comboio das 12h00 para Carcavelos, e durante o percurso de cerca de 30 minutos, cumprimentou os passageiros, muitos dos quais turistas. Inspirados na música de Carlos Paião “Em playback”, os militantes da JSD entoavam o refrão “Ferrovia, investimento, estradas podres sem cimento, hospitais sem orçamento”.

A caravana seguiu depois para um almoço com militantes e simpatizantes em Bicesse (concelho de Cascais).