História

Partido Social Democrata

Fundado em 6 de maio de 1974, por Francisco Sá Carneiro, Francisco Pinto Balsemão e Joaquim Magalhães Mota sob o nome Partido Popular Democrático (PPD). Foi legalizado em 25 de janeiro de 1975, passando a designar-se a 3 de outubro de 1976, Partido Social Democrata (PSD). O Partido foi criado com base em três linhas de pensamento distintas embora complementares. Uma linha Católica-Social, nascida entre 55 e 65 como reação contra o corporativismo de estado; uma linha Social-Liberal, ligada à Social-Democracia defensora da democratização do Estado Novo e ligada ideologicamente à ‘ala liberal’ e, finalmente, uma linha Tecnocrática-Social, com preocupações mais ligadas ao desenvolvimento económico, privilegiando mudanças sociais e culturais como meio determinante de promover e alargar a democracia.  Ver mais

Fundadores

Francisco Manuel Lumbrales de Sá Carneiro

19 de julho de 1934 – 4 de dezembro de 1980

Francisco José Pereira Pinto Balsemão

1 de setembro de 1937

Joaquim Jorge Magalhães Mota

17 de novembro de 1935 – 26 de setembro de 2007

As setas do PSD – Um texto de Pedro Roseta (Povo Livre 1975)

O nascimento de um símbolo 

Tal como outros movimentos, também os partidos sociais-democratas adotaram, desde início, diversos símbolos exteriores que pudessem, de forma rápida, sugestiva e uniforme, identificá-los perante o maior número de pessoas.

Assim, durante muitos anos, o Partido Social-Democrata Alemão serviu-se largamente de diversos símbolos, entre eles a bandeira encarnada e o cravo vermelho na lapela.

Mas um novo símbolo, forjado na luta contra o totalitarismo, estava destinado a sobrepor-se aos restantes.  Ver mais

Líderes

Secretários-Gerais

Congressos

Eleições Diretas

Primeiros-ministros

Presidentes da Assembleia República

Presidentes do Grupo Parlamentar

Pres. Regiões Autónomas