Foi nesta segunda-feira que Rui Rio afirmou que, quando um Orçamento do Estado “tem um número elevado de cativações acaba por ele próprio ser uma mentira porque é aprovado um OE no parlamento, mas, depois, o Governo executa daquilo o que lhe apetece, não executa tudo". Tal mentira, continuou, “é grave para todos os portugueses, mas é particularmente grave para o BE e o PCP que andaram a negociar um determinado Orçamento com o Governo, mas o Governo nem cumpre o que acordou com os seus parceiros".

O Presidente do PSD voltou a concretizar a questão do défice para explicitar esta realidade: “Este Governo, neste orçamento, a ser assim como está, vai ser aprovado um défice de 975 milhões de euros e o Governo diz que só vai ser 385. Para que isso seja verdade, muito daquilo que está como despesa já sabemos de antemão que não vai ser executado. Ou então, há uma segunda mentira, que é a mentira do próprio défice que é muito superior aquilo que o Governo diz que é. É uma trapalhada”.

Sobre a greve dos juízes, que se inicia hoje, Rui Rio afirmou que não ia fazer “nenhum comentário político, de raiz estou totalmente em desacordo que os juízes possam fazer greve”. "Eu não concebo que um órgão de soberania possa fazer greve. Greve fazem os funcionários públicos, não fazem os órgãos de soberania. Os deputados não fazem greve, os ministros não fazem greve, o Presidente da República não faz greve, o primeiro-ministro não faz greve", disse.

O Presidente do PSD falava à margem de uma reunião com militantes no distrito de Braga. Esta quinta-feira, o Presidente do PSD estará com os militantes de Castelo Branco.