Continuar a defender a região do Minho no Parlamento Europeu e prosseguir com uma política de proximidade, que o manteve sempre junto das populações e instituições locais, são os compromissos assumidos pelo eurodeputado do PSD, José Manuel Fernandes, perante os autarcas de freguesia e dos municípios do Minho. “Continuarei a dar o máximo para ajudar a puxar pelas nossas terras, pelas nossas potencialidades. Continuarei a exercer uma política de proximidade, divulgando e explicando fundos e programas que possam favorecer o nossos território, empresas e pessoas de diferentes gerações”, assumiu José Manuel Fernandes, perante os autarcas minhotos.

Ao longo da campanha para as eleições europeias, o eurodeputado saudou de forma especial os autarcas, nomeadamente os presidentes de Junta, com quem tem mantido uma forte ligação. “São os grandes obreiros do desenvolvimento e lutadores permanentes na defesa da coesão”, justificou.

Os encontros com autarcas em Braga, Monção, Terras de Bouro, Fafe e Vizela culminaram num programa de iniciativas que abrangeu todos os concelhos minhotos, onde sobressai o reconhecimento pelo trabalho que tem sido desenvolvido por José Manuel Fernandes, tanto no Parlamento Europeu como na região. “Continuarei a exercer uma política de proximidade. Estarei, novamente, nas escolas, instituições, empresas e associações sempre que me convidarem. Sempre, junto das pessoas. Continuarei a lançar concursos para os jovens. Continuarei a informar e divulgar programas e fundos europeus, e a publicar o livro ‘Pela Nossa Terra’, onde não me esqueço das nossas freguesias e dos nossos autarcas, porque considero que todos somos importantes na construção de um presente e um futuro melhores”, afirmou.

Lembrando que o PSD apresenta a única lista que garante um lugar elegível a alguém do Minho, José Manuel Fernandes entende que “é muito importante continuar a ter uma voz no Parlamento Europeu que defenda a nossa região”. “Nem sempre temos consciência que as creches, os lares, os hospitais, as escolas, as bolsas de estudo, a formação profissional, as estradas onde passamos, a água que bebemos, o saneamento, têm na sua grande maioria financiamento de fundos europeus”, referiu o eurodeputado.

José Manuel Fernandes elogia a “qualidade de uma lista com pessoas de mérito reconhecido unanimemente e que representa as diferentes gerações e todas as regiões do País”.

Sobre o trabalho realizado no Parlamento Europeu, citou as propostas para novos programas de apoio específico ao emprego e valorizou e defendeu as especificidades da região, designadamente os produtos locais, a agricultura e desenvolvimento rural, a indústria, as pequenas e médias empresas (PME).

O eurodeputado esteve na negociação anual do orçamento europeu no qual Portugal recebe cerca de 13 milhões de euros por dia. Negociou o Plano Juncker, que já apoiou mais de 12 mil pequenas e médias empresas portuguesas, o novo mecanismo europeu de proteção civil para fazer face aos incêndios, e o Fundo de Solidariedade que deu a Portugal 50,6 milhões de euros para apoiar as regiões afetadas pelos incêndios.

Como negociador dos próximos fundos europeus (para 2021-2027), José Manuel Fernandes sublinha que os eurodeputados do PSD lideraram o processo para a aprovação, no Parlamento Europeu, de uma proposta onde os fundos para Portugal não sejam cortados, ao contrário do que admite o Governo socialista face à proposta inicial da Comissão Europeia.

O coordenador do PPE na comissão dos orçamentos chama ainda a atenção para o esforço a desenvolver para que as verbas vindas de programas da União Europeia sejam “geridas de forma transparente e justa, com objetivo de reforçar a coesão territorial, criar emprego, combater a pobreza, melhorar a nossa qualidade de vida”.

A fechar a campanha para as eleições europeias, depois de atividades nos distritos de Braga, Viana do Castelo, Bragança, Vila Real e Porto, José Manuel Fernandes tem agendadas para esta sexta-feira uma visita ao mercado de Guimarães e uma ação em Vizela, antes de Paulo Rangel, o cabeça de lista, reentrar na comitiva para um almoço em Vila Verde e arruadas no centro de Braga e do Porto.