Durante muito tempo, “quer o ministro das Finanças quer o primeiro-ministro, disseram que na próxima legislatura o PS não iria baixar a carga fiscal e os impostos”, lembrou Rui Rio, em Bragança. Agora, a reboque da opinião pública, “a coerência é relegada para segundo lugar e nós temos o atual ministro das Finanças a dizer que, se o PS ganhar, vão baixar os impostos”, acusou.

Diziam que “as prioridades eram outras e que aquele dinheiro teria de ser canalizado para outros fins”, apontou ainda o Presidente do PSD. “Nós viemos propor uma descida da carga fiscal devidamente quantificada e isso colheu com a opinião pública”. Agora, o Partido Socialista anda “a reboque daquilo que percebeu que o eleitorado quer”, concluiu Rui Rio neste sábado de campanha eleitoral que começou no distrito de Bragança e que termina em Vila Real.