O Presidente do PSD participou este sábado, numa arruada em Bragança, onde declarou ter a certeza de que vai vencer as próximas legislativas. Rui Rio começou por subir a um monumento emblemático da cidade para agradecer a todos os que acompanharam a iniciativa durante a manhã de sábado. “Vim aqui ao pelourinho, mas não é para ser dependurado. Vim aqui apenas para que não tenham dúvidas de que estive em Bragança, num sítio emblemático do Norte”, afirmou.

Apesar de sublinhar que, nas suas funções, tem de responder às preocupações de todos os portugueses, o líder do PSD não esqueceu as suas origens. “Não renego as minhas origens, o Norte estará sempre presente em todos os meus atos a partir de 06 de outubro porque estamos certos de que vamos ganhar as próximas eleições”, expressou.

Em Bragança, acompanhado pelo cabeça de lista Adão Silva e pelo presidente da Câmara, Ernâni Dias, Rui Rio foi entrando em lojas e distribuindo material de campanha, foi calorosamente recebido no primeiro contacto com a população de Trás-os-Montes, com desejos de “força, boa sorte”, “felicidades para o dia 06”, “para a frente” e até uma profecia de que iria ganhar por “quatro ou cinco”.

Num café emblemático da cidade, o Chave d’Ouro, conversou com um grupo de idosos, a quem perguntou pelo engraxador que costumava existir neste espaço. “Aqui vai ganhar, no País está quase”, disse-lhe um senhor, no final da arruada, que terminou com Rui Rio no meio de uma roda entre os elementos da JSD que, como habitualmente, animaram a iniciativa com cânticos.

Comentando o caso de Tancos e a investigação, Rui Rio conclui que “o PS está atrapalhado com o caso e não sabe o que há de dizer”. O Presidente do PSD rejeitou também qualquer coincidência da acusação com o período de campanha eleitoral porque, como explicou, “a acusação tinha de sair até ao fim desta semana”, não se vendo “nenhuma condicionante de ordem política, tinha de ser, é a lei que o determina”. “Senão estavam soltos aqueles que estão presos”, disse.

No contacto olhos nos olhos com as pessoas, Rui Rio conversou com os populares, participou numa arruada em Valpaços, onde recebeu diversas demonstrações de apoio e carinho. Rodeado por militantes da Juventude Social Democrata, Rui Rio percorreu o percurso por entre os expositores da Festa das Vindimas e do Vinho, onde ouviu desejos de “força” para o próximo domingo. Quando passou pela representação da Confraria dos Vinhos Transmontanos, os confrades vestidos a rigor já não o deixaram sair de lá sem antes fazerem um brinde da forma tradicional: “honor et gloria transmontano vino”, que em português atual significa “honra e glória ao vinho transmontano”. “À vitória, à vitória, à vitória”, dizia o grupo enquanto os copos tilintavam uns contra os outros.

Mais à frente, alguns valpacenses pediram ao líder social-democrata que no futuro não se esqueça daquela região, prometendo também não se esquecerem do PSD quando forem às urnas.

Antes, em Mirandela, Rui Rio almoçou com agricultores, onde fez uma intervenção inicial e respondeu a perguntas destacando as medidas do programa eleitoral do PSD.

O sétimo dia de campanha oficial para as eleições legislativas fechou com uma visita ao Museu do Douro, na Régua, cidade onde Rui Rio, acompanhado pelo cabeça de lista por Vila Real, Luís Leite Ramos, sentiu que, pelas “sondagens de rua”, o PSD está a “subir muito”.