O Conselho Nacional do PSD aprovou, em Bragança, a marcação da eleição do Presidente da Comissão Política Nacional para 11 de janeiro de 2020 – votação que decorrerá entre as 14h00 e as 20h00 desse dia –, e congresso nos dias 7, 8 e 9 de fevereiro de 2020. De acordo com o secretário-geral do PSD, o regulamento para as eleições diretas e do 38.º Congresso Nacional foi aprovada com 58 votos a favor, dez abstenções e seis contra.

De acordo com o regulamento aprovado, 16 de dezembro será a data limite para pagamentos de quotas por vale postal e 22 de dezembro o prazo final para os restantes meios de pagamento. Só poderão votar os militantes que tenham as quotas em dia e que estejam inscritos no PSD há pelo menos seis meses, sendo expressamente proibido o pagamento de quotas em numerário.

No final de uma reunião de mais de quatro horas do Conselho Nacional, o Presidente do PSD reiterou que o objetivo político passa por recuperar muitas câmaras nas eleições autárquicas de 2021. “Temos de apostar a sério nas autárquicas para inverter a tendência de queda e ter uma tendência de subida real, não é ganhar mais duas ou três câmaras”, afirmou.

O líder do PSD salientou que os resultados do PSD têm vindo a cair, “um pouco em 2009 e depois o desastre em 2013 e 2017”, em que o partido alcançou a vitória em 98 municípios (sozinho ou em coligação) contra 161 do PS.

“Temos de começar a recuperar essa diferença (…) e conquistar muito mais câmaras”, disse.

Rui Rio lembra que “as autárquicas são a verdadeira implantação do partido no terreno”, considerando que se o número de deputados pode variar facilmente, é pelo número de câmaras, juntas de freguesia e vereadores que se mede o poder do partido.