António Capucho, militante histórico do PSD, vai regressar ao partido que ajudou a fundar em 1974, tendo a sua nova ficha de militante dado entrada na sede do PSD.

António Capucho iniciou a sua atividade política antes do 25 de Abril como opositor ao Estado Novo e tem, hoje, um vasto currículo.

Começou por ser Secretário-geral adjunto com Sá Carneiro, foi, depois, deputado à Assembleia da República, eurodeputado, Vice-Presidente do Parlamento Europeu, Secretário-geral do PSD, Vice-presidente da CPN e também líder da bancada parlamentar social-democrata.

Foi por diversas vezes membro do Governo: Secretário de Estado Adjunto do Primeiro Ministro, Ministro da Qualidade de Vida e, mais tarde, Ministro dos Assuntos Parlamentares.

Foi, ainda, Presidente da Câmara de Cascais e membro do Conselho de Estado.

António Capucho foi expulso do partido em 2014, depois de ter apoiado Marco Almeida à Câmara de Sintra; precisamente o mesmo candidato que o PSD viria a apoiar quatro ano mais tarde para a mesma autarquia, onde Marco Almeida tinha sido vice-presidente de Fernando Seara.

Manteve-se afastado da ação política durante os últimos anos, mas sempre com espírito crítico, e manifestou a vontade de regressar ao PSD com a eleição de Rui Rio para a presidência do partido.

António Capucho faz parte da história do PPD/PSD ao qual regressa agora, para contribuir com a sua experiência política e pessoal na construção de um projeto para o futuro do país.

Lisboa, 2 de setembro de 2019