No segundo dia de uma visita ao Algarve, Rui Rio reuniu esta quinta-feira com profissionais de saúde em Portimão e constatou a “resposta deficiente” que o Serviço Nacional de Saúde presta às populações. Rui Rio considera que a prestação de cuidados de saúde “está pior no Algarve do que no resto do País”.

Um dos principais problemas, diz Rui Rio, advém da dificuldade de a região sul captar médicos qualificados. “É preciso criar condições de trabalho para os profissionais não deixarem de vir [para a região]”, disse.

Num comentário ao relatório do Tribunal de Contas, sobre a atuação do anterior governador do Banco Portugal nas resoluções do BES e no Banif, Rui Rio recorda as críticas que fez sobre a forma como o regulador interveio na supervisão bancária. “O Banco de Portugal teve, obviamente, graves deficiências ao nível da supervisão. O BES é um exemplo. O Novo Banco foi apelidado de Banco bom pelo anterior governador. Afinal, não havia o bom e o mau. Havia o mau e o péssimo”, sintetizou.

Em relação ao Banif em concreto, Rui Rio acrescenta que existem muitas dúvidas quanto ao processo de resolução do banco. “Se nós fossemos acreditar, não sei se devemos acreditar ou não, no balanço oficialmente publicado pelo Banif, nada justificava que o banco não pudesse continuar a funcionar de forma absolutamente normal”, referiu.