Selecione uma opção
Europa
Fora da Europa
NOTÍCIAS
Rui Rio: Governo prometeu o que não podia cumprir
04 de Outubro de 2018
Rui Rio: Governo prometeu o que não podia cumprir

“Quem tem razão são os professores”, defendeu Rui Rio em entrevista à RTP1, esta quinta-feira.

Questionado sobre os protestos dos professores, o Presidente do PSD apontou que foi o “Governo do Partido Socialista, apoiado pelo Bloco de Esquerda e pelo PCP” que deu “expectativas aos professores de poder ser contado o tempo todo” e são os próprios partidos que apoiam o Governo que lembram que “está escrito no que eles negociaram”.

Rui Rio aponta que a negociação com os sindicatos de professores deverá passar pelo “diálogo construtivo”.

Já sobre os aumentos salariais para a Função Pública, Rui Rio defende uma revisão das carreiras, no espaço de alguns anos, uma vez que “o leque salarial está muito esmagado”. “Evolui-se muito lentamente no topo da carreira e os salários são muito baixos”, acrescentou, o que põe em causa a capacidade competitiva da Administração Pública para fixar “quadros de valor” face ao setor privado.

 

 

“Estamos aqui para ganhar”

“Primeiro Portugal” é marca da liderança de Rui Rio. O líder do PSD reafirmou o seu compromisso com a máxima de Francisco Sá Carneiro e defendeu que o Governo não tem colocado os interesses de Portugal à frente da lógica partidária. A redução das 40 para as 35 horas da Função Pública é exemplo disso mesmo, porque serviu não o País mas os interesses dos partidos que apoiam o Governo no Parlamento.

“Estou apostado em dialogar com todos”, assegurou, “em nome de reformas estruturas que Portugal precisa de fazer”, em matérias como a Justiça, a Segurança Social e o sistema político. Olhando para os problemas de Portugal, Rui Rio recordou como o Conselho Estratégico Nacional já apresentou propostas que estão em debate sobre as questões da natalidade, a União Económica e Monetária, o Serviço Nacional de Saúde e o acesso ao Ensino Superior. “Quando me pergunta que propostas tenho, é bom perguntar aos outros”, “aí vai ver a diferença não apenas para o Partido Socialista, mas para todos”, resumiu Rui Rio.

E este é o caminho para o objetivo do Presidente do PSD: “estamos aqui para ganhar”. “O grosso dos militantes quer ganhar” e “o PSD tem fortes hipóteses de, daqui por um ano, estar em condições de bater-se taco a taco com o Partido Socialista”. Mas “não basta querer”, “é preciso que aqueles que vão fazendo ruído assumam as suas responsabilidades porque estão a fazer o jogo do Partido Socialista”, afirmou Rui Rio.

“Temos sempre, na nossa vida e na política, de perceber o que são divergências genuínas e divergências táticas”, rematou.

 

 

Reveja aqui a entrevista do Presidente à RTP1.