Selecione uma opção
Europa
Fora da Europa
NOTÍCIAS
44.º aniversário do PSD: “Olhamos Portugal como um todo”
14 de Maio de 2018
44.º aniversário do PSD: “Olhamos Portugal como um todo”

 

O Presidente do PSD reafirmou, este sábado, que o move o objetivo de “mostrar ao País a necessidade da descentralização da vida política nacional”. Daí a escolha de Beja, “uma região de pessoas corajosas e de inequívoco potencial de desenvolvimento”, para acolher as comemorações. Daí, também, a homenagem feita a Alberto João Jardim e João Bosco Mota Amaral, “dois grandes homens da política nacional”. No Teatro Municipal Pax Julia celebrou-se a social-democracia

 

O PSD comemorou, este sábado, o seu 44.º aniversário no Teatro Municipal Pax Julia, em Beja. Com a escolha desta cidade, para receber a sessão comemorativa, o Partido quis “mostrar ao País a necessidade da descentralização da vida política nacional”. “Escolhemos Beja para dizer que olhamos para Portugal como um todo”, referiu.

No 44.º aniversário, os social-democratas quiseram homenagear João Bosco Mota Amaral e Alberto João Jardim. Segundo o líder do PSD, são “dois grandes homens da política nacional”, “os dois maiores obreiros da descentralização do poder político, por aquilo que representam na nossa história democrática e na construção e consolidação das autonomias regionais dos Açores e da Madeira”. E destacou: “a vida política destes nossos dois companheiros é uma lição que muito nos orgulha, e que deve ser um exemplo para todos os que têm da vida pública o verdadeiro sentido do serviço à comunidade”.

Num local emblemático para o Partido, Rui Rio relembrou a “história de proximidade às pessoas” para, logo depois, apresentar a forma como os social-democratas encaram a política: “como uma missão para resolver os problemas das pessoas”. Trata-se, pois, de uma “missão de serviço ao País”. E foi, por isso mesmo, quis assinalar que, “cumpridos quase dois terços da atual legislatura, já ninguém tem dúvidas de que a solução governativa se esgotou, e se está a esboroar nas suas próprias contradições ideológicas, e de interesses partidários antagónicos”.

Ao lembrar as dificuldades que o País enfrenta (e com as quais tem contactado), no que respeita por exemplo à Saúde, o líder do PSD salientou que o Partido a que preside é “feito por pessoas e para pessoas”. Logo, move-o o objetivo de “dar esperança e futuro a todos os cidadãos”. “O PSD é o partido que não se pode conformar com um Portugal centralizado, concentrado e desigual”, referiu, para dirigir novamente uma palavra à cidade que acolheu as comemorações: “uma região historicamente sofrida. Uma região demasiado tempo esquecida pelos poderes políticos. Mas uma região rica de potencialidades. Uma região de pessoas corajosas e de inequívoco potencial de desenvolvimento”.

 

 

Alberto João Jardim agradeceu a todos aqueles com quem teve a “honra” de trabalhar

Agradeço à Comissão Política Nacional, e em particular ao seu Presidente, este gesto de unidade partidária e de unidade intergeracional neste aniversário”, afirmou Alberto João Jardim. Dirigiu palavras de agradecimento a todos os “companheiros do Partido que, em todo o País”, o ajudaram e apoiaram, dando-lhe, “sobretudo, a honra de ter podido trabalhar ao lado de todos”.

 

 

João Bosco Mota Amaral assinalou “fase de recomeço” que “tantas expectativas está despertando

João Bosco Mota Amaral referiu-se à “bela iniciativa do Presidente do PSD de marcar a comemoração do 44.º aniversário com uma homenagem aos antigos presidentes das regiões autónomas”. E acrescentou: “pela parte que me toca esse agradecimento é deveras emocionado”. Quis, também, assinalar a “fase de recomeço, e de retificação de rumo [do Partido] que tantas expectativas está despertando na sociedade portuguesa”.

 

 

 

44.º Aniversário do PSD